O artista plástico Fernando Alvim, convidado para falar sobre a figura emblemática de Nelson Mandela, fez uma retrospectiva do percurso histórico de “Madiba”, destacando o contributo de Angola na acção política promovida para a mudança de regime na África do Sul.

De acordo com o palestrante, Nelson Mandela tornou-se numa figura incontornável na história de África, com particularidade para a região Austral, tendo deixado um legado e um exemplo que deve servir de inspiração para as novas e futuras gerações.

Fernando Alvim destacou que Angola tem o seu nome no registo, por ter tido um papel fundamental na libertação de Nelson Mandela e no fim do regime do Apartheid, que culminou com as primeiras eleições democráticas multirraciais na África do Sul, e a independência da Namíbia.

Neste particular, o palestrante fez menção a batalha do Cuito Cuanavale que permitiu a mudança do rumo da história da região Austral do Continente Africano.

Adiantou que, pelo histórico, é mais do que merecido que o Cuito Cuanavale figure na lista do património mundial da UNESCO.

Em alusão ao Dia de África, a assinalar-se a 25 deste mês, o Ministério da Cultura está a promover um ciclo de palestras, entre outras actividades culturais, ressaltando a figura de Nelson Mandela.

O Dia de África foi instituído depois da reunião dos chefes de Estados africanos, a 25 de Maio de 1963, em Addis-Abeba, Etiópia, para debater questões decorrentes da sua descolonização e criar uma organização política continental que pudesse defender os interesses de todos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.