A informação foi avançada domingo pelo embaixador da Alemanha em Angola, Dirk Lolke, no final da visita de trabalho de algumas horas a província da Lunda Sul, considerando ser o início da cooperação no ramo de antropologia, atendendo a existência de artefactos da região no Museu de Berlim.

A embaixada da Alemanha em Angola e o Ministério da Cultura assinam um memorando de entendimento que envolve o Instituto Cultural Alemão e a Fundação Património Cultural em Berlim, nas áreas de pesquisa, exposição, formações e restauração de peças. A assinatura dos memorandos de entendimento entre os dois países vai também permitir a abertura para o tratamento das questões ligadas a formação académica e o estudo real da história dos povos Tchokwe.

O diplomata informou que existe ligações científicas entre ambos os países no que diz respeito a pesquisa da cultura Tchokwe o objectivo é promover está ligação e conhecimento sobre estas raízes.

Por sua vez, o governador provincial da Lunda Sul, Daniel Neto, reconheceu que a Alemanha tem demonstrado muito interesse na cultura angolana e em colaboração com historiadores angolanos poderá traçar vários programas de desenvolvimento no âmbito antropológico.

Em relação a visita a Lunda Sul, informou que serviu para constatar a realidade daquilo que eles tem registado na Alemanha sobre a cultura Tchokwe e a certificação da existência da família real irá de certa forma ajudar nos trabalhos de investigação, exaltando o nome do seu povo.

O representante do rei Mwatxisseguenge wa-tembo, Lucas João, garantiu total disponibilidade por parte do governo da Lunda Sul e da família real em cooperar com a embaixada da Alemanha neste desiderato, de modos a ajudarem a desenvolver o tão importante projecto antropológico que têm para os lundas.

Afirmou que a corte real está disponível em passar informações detalhadas sobre o verdadeiro significado histórico das peças que se encontram no Museu de Berlim na Alemanha, bem como todos os conhecimentos que dispõem sobre a cultura, para que a mesma seja promovida internacionalmente.

Por sua vez, o director do Instituto Cultural Alemão para África Subsariana, Norbert Spitz, disse que o encontro com o rei Mwatxissengue Wa-Tembo, visou estabelecer um primeiro contacto, para posteriormente se recolher informações sobre a cultura Tchokwe, permitindo o investimento no âmbito formação.

Já o director do Gabinete provincial da Cultura Turismo e Juventude e Desporto da Lunda Sul, Gabriel Tchiema, elogiou a pareceria que será firmada entre Angola e Alemanha no ramo antropológico,  augurando que o governo local solicita através da Universidade Lueji A Nkonde, formação de antropólogos, com vista a investigar e organizar devidamente a cultura Tchokwe.

Disse ser necessário ter ideias científicas neste ramo da antropologia, para que se consiga catalogar e preservar a cultura, uma vez que o governo da província tem intenções de criar aldeia satélite onde será concentrada os hábitos e costumes do povo tchokwe.

Com o mesmo objectivo, a delegação da embaixada da Alemanha em Angola deslocou-se nesta tarde para a província da Lunda Norte, para visitar o museu de antropologia do Dundo.