Carolina Cerqueira, que intervinha  no final de um  Culto Ecuménico, sustentou que se trata  de um reconhecimento digno à  figura de origem  Cockwe que representa a sabedoria e a generosidade  de um povo, também  constante das preocupações  do  Executivo Angolano, à  semelhança de  Mbanza Congo, cidade elevada em  Julho a categoria Mundial.

A ministra, impressionada com o acervo cultural da região Lunda-Cockwe,  chamou a atenção  em relação aos falsos profetas que fazem da pseudo-religião para exploração e desrespeito que  muitas vezes atentam contra a ordem jurídica estabelecida.

A dirigente, que  se encontra desde sexta-feira nesta  cidade para orientar o Acto Central  do Dia  Nacional da Cultura, disse contar, para isso, com a colaboração das igrejas num  projecto em curso  da  recolha  de opiniões  de interesse cultural, em geral.

Enfatizou a necessidade do esforço na transmissão às comunidades  da mensagem de esperança por dias melhores, a emancipação da juventude, o respeito à Constituição e à Lei, entre outros valores morais, culturais e patrióticos.

Carolina Cerqueira  entende que as igrejas devem empenhar-se na agricultura, tal como no combate a endemias em vários pontos do país, enquanto  parceiras privilegiadas que integram a estratégia do Estado, para a diversificação da economia.

O acto decorreu no Campo de Ténis adjacente a Escola Superior Pedagógica da Lunda Norte (ESPLN) testemunhado por governantes, polítcos, membros da sociedade civil e distintos responsáveis do Ministério da Cultura.