Amostra, que congrega imagens feitas em Angola, Moçambique e Quénia, reúne 30 trabalhos.

As imagens foram produzidas ao longo de diferentes viagens de trabalho e lazer que o fotógrafo realizou durante o tempo em que permaneceu nestes países.

A obra retrata, de forma singular, segundo o artista, que falava neste sábado à Angop, o mundo rural, a comunidade piscatória e também capta algumas paisagens que levam as pessoas a reflectir e a contemplar como as comunidades valorizam a relação homem e a natureza.

“São imagens que tendem a dirigir o olhar para a dignidade humana, a importância das relações profundas, independentemente do contexto, mesmo sendo este difícil, de seca ou pobreza”, disse.

Danilo Barbero nasceu na região do Piemonte, Itália. É Engenheiro Florestal e , começou a viajar por África e outros continentes, a partir do final dos anos 80, como perito em projectos de cooperação no sector rural.

Teve a oportunidade de viver, por longos períodos, no seio de comunidades rurais e vários ambientes naturais, onde tomou contacto com diversificadas culturas tradicionais, sobretudo em África, mas também na Ásia e na América Latina.

A sua paixão pela fotografia, inicialmente, surgiu para documentar o seu trabalho, no âmbito rural.