De acordo comunicado enviado ao SAPO,  a exposição ficará patente ao público até ao dia 17 de Maio, podendo ser visitada de Segunda-feira a Sábado, entre as 12h30 e as 19h30, na galeria de arte contemporânea da Fundação Arte e Cultura, na baixa de Luanda.

Peculiar nas suas obras, o autor junta-se a uma corrente de espírito de solidariedade e voluntariado há muito protagonizada pela Fundação Arte e Cultura, que encontra em parte das receitas arrecadadas das vendas das obras de arte, um meio adicional para fortalecer os seus projectos sociais, nomeadamente junto de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade.

Com um histórico já marcado pela passagem de grandes artistas plásticos nacionais, a Galeria Tamar Golan aposta fortemente na promoção de jovens artistas emergentes.

“Convido-vos a apreciar obras que espelham sentimentos afeiçoados a tudo e ao mesmo tempo a nada. Dada a vivacidade presente, nós em tudo participamos como se lá estivéssemos e vivessemos, mas ao mesmo tempo não estamos e não vivemos, daí as diferentes técnicas utilizadas, as várias ideias e temas para falar de tudo sem se apegar a nada particularmente. Nesta exposição, o foco está exactamente nas impressões que marcaram e inspiraram o autor, desde tragédias, manifestações e até mesmo sentimentos íntimos fracassados ou ainda a visão perturbada do ser, que era suposto nominar humano. A exaltação do emotivo é, em Impressões do Tempo, consequência das pegadas que indelevelmente se encontram tatuadas na memória do autor como vida exercitada, testemunhada, sonhada, fazendo-se sobretudo advogado dos que choram por dentro, dos homens sem voz e sem quadro para descrever e pintar as duas dores. O convite está lançado, há uma surpresa à espera dos bons apreciadores das artes plásticas”, referiu Cândido Pascoal

Cândido Pascoal nasceu em Luanda, em 1978. Não conheceu uma escola que o pudesse lapidar e ser hoje o brilho que o mundo das artes conhece. Auto-didacta, deu sozinho os seus primeiros passos nas artes plásticas, tudo em si se consumando com o desenrolar do tempo, por meio desta via de aprendizagem. Se o sucesso é 1% de inspiração e 99% de transpiração, Cândido Pascoal é disto um exemplo perfeito.

Entre outras, marcou presença numa exposição colectiva no Elinga Teatro em 2013, no concurso ENSA ARTE e na exposição colectiva dos artistas que passaram a pré-selecção do mesmo em 2014, e realizou a exposição individual “Dentes de Leite” na Galeria Tamar Golan, em 2017.
Apresentando 23 obras, Cândido Pascoal volta a expor na galeria de arte contemporânea da Fundação Arte e Cultura.

A Galeria Tamar Golan, da Fundação Arte e Cultura, é um projecto cultural inovador e alternativo, sem fins lucrativos, que visa promover as artes plásticas angolanas e apoiar jovens talentos emergentes nas artes plásticas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.