Inaugurada quarta-feira, pelo ministro de Estado e chefe da Casa Civil da Presidência da República, Frederico Cardoso, o evento reúne jovens  criadores  de  Angola (anfitriã), Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor Leste e Guiné Equatorial,

Sob o lema “Juventude da CPLP Unida pela Cultura”, visa contribuir para o reforço do processo de integração da juventude, aproximação, intercâmbio e debate entre as diferentes identidades culturais e artísticas.

Promover espaço de debate e de reflexão sobre o mosaico de criações artísticas e culturais dos jovens,  discussão e partilha de vivências nas diversas esferas da vida política, económica, social e a divulgação de políticas públicas para a juventude da CPLP, em particular,  são entre  outros os  objectivos desta  bienal.

Na  abertura deste  evento, o  governador de Luanda,  Luther  Rescova,  disse que  a Bienal  da CPLP vai marcar a grande diversidade entre as culturas dos povos que sempre uniu a comunidade, visto que o momento constitui uma ocasião especial para a troca de experiências,  respeitando a história.

Para o governador, Luther Rescova, Luanda tem a capacidade de inspirar o génio artista e de cultura.

Durante a sessão de abertura da IX Bienal num desfile performativo as delegações dos nove países da CPLP mostraram as suas culturas representadas por dança, teatro e música.

A IX Bienal que decorrerá de 24 a 28 do corrente mês, acontece pela segunda vez na capital de  Angola, Luanda. A primeira vez foi em 2011.

O evento foi adoptado pela I Conferência de Ministros Responsáveis pela Juventude e pelo Desporto da CPLP realizada em Portugal, Cidade de Lisboa, em 1996, tendo a primeira Edição sido realizada em 1998, na cidade da Praia, República de Cabo Verde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.