Maria da Piedade de Jesus, secretária de Estado do Ministério da Cultura, que efectou a entrega das esculturas, disse que a cerimónia enquadrou-se na comemoração do Dia da Cultura Nacional, celebrado a 8 de Janeiro, realçando no entanto o esforço da fundação Sindika Dokolo, um dos parceiros sociais da instituição, pela recuperação do acervo.

A responsável adiantou igualmente que as oito peças chegaram ao país no passado mês de Novembro, fruto de um programa de resgate dos artefactos espalhados pelo país e no exterior.

Por seu turno, o vice-governador para os serviços técnicos e infraestrutura, Lino dos Santos, agradeceu o empenho do Ministério da Cultura e dos parceiros envolvidos no resgate das peças, solicitando igualmente no sentido de prosseguir com a actividade com a libertação das estátuas, visto que os artefactos que regressaram nunca deviam ter saído do seu habitat.

Ilunga André, director do Museu Regional do Dundo, referiu que o acervo recepcionado terá o seu tratamento devido, depois de uma exposição longa, tendo em conta o regresso de parte do acervo desaparecido fora do seu contexto social.

Das esculturas, todas de origem cokwé, ressalta a Ngundja (cadeira do trono, em miniatura).

Durante o ano de 2018 a instituição recebeu mais de dez mil visitantes, entre institucionais, científicas e estudantis, debatendo-se actualmente com carência de quadros para atender a demanda pela sua extensão.

O Museu Regional do Dundo existe há 83 anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.