Numa mensagem de condolências pela morte do artista ocorrida na noite de sexta-feira, no Hospital Militar, vítima de doença, o departamento ministerial realça que, além da sua reconhecida carreira artística nacional e internacional, como trovador e integrante do duo Irmãos Kafala, José Kafala tornou-se um importante símbolo da cultura nacional.

“Pelo seu repertório, entre as quais canções musicadas com base na poesia do Primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, o músico é uma referência no mercado nacional”, lê-se na mensagem.

José Kafala tornou-se um dos mais expressivos trovadores do período pós-independência, com o irmão Moisés, com quem formou a dupla Irmãos Kafala. A dupla desfez-se em 2004, altura em que abraçou carreira a solo.

Conquistou, em 1984, a título individual, o I Festival dos Artistas Amadores das Forças Armadas.

Em 1985, a dupla venceu o Top dos Mais Queridos, com o tema “Ó Kudizola Kueto”.

José Kafala foi agraciado com o Diploma de Mérito, pelo Ministério da Cultura, em 2008, no âmbito do Dia da Cultura Nacional.

Gravou o CD a solo “Bálsamo”, 2004, que sucedeu aos discos “Ngola”, 1988, e “Salipo” (1995), gravados na companhia do irmão Moisés.

O artista teve uma carreira internacional brilhante, fruto da participação regular em concertos e festivais realizados em vários países.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.