Em declarações à Angop, o guia da instituição, Kediamosiko Toko, disse terem sido introduzidas novas regras para o acesso dos visitantes às salas temáticas, com destaque para a redução do número de visitas (quatro pessoas) por cada sessão, o uso obrigatório de máscaras faciais, a higienização das mãos com água, sabão e álcool em gel, bem como o distanciamento social.

“A partir de hoje fica reduzido para quatro o número de pessoas por cada sessão, ou seja, entram quatro elementos e depois de saírem é que entram outros quatro, assim sucessivamente”, explicou.

De acordo com Kediamosiko Toko, a higienização dos visitantes começa à entrada do quintalão, onde está colocado um balde com água, sabão e álcool em gel, devendo ser autorizado a entrar para a instituição apenas o utente com máscara facial.

Informou que de Janeiro a Março deste ano o museu registou 4 mil e 500 visitantes, contra 6 mil visitas recebidas no primeiro trimestre de 2019.

O Museu dos Reis do Kongo conta, actualmente, com 108 peças no seu acervo museológico que retratam a vida dos soberanos do antigo Reino do Kongo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.