Contagiados por um público misto (crianças, jovens e adultos), activo e participativo do princípio ao fim, Nzimba animou e encantou de forma eufórica a plateia  com as músicas " Me dá só Samuel", "Tu és o Senhor", "És Maravilhoso", "Quero minha Bênção", " Mim tirou Vergonha", entre outros sucessos que mereceram pulos e palmas das mais de três mil fiéis presentes.

Antes desta actuação, subiram ao palco do pátio do Templo Sede da Igreja Evangélica Congregacional em Angola (IECA) na província do Huambo, localizado no bairro Académico, os irmãos Baruck, Chidy  e o Pastor Goioma, que também não deixaram os seus créditos em "mãos alheias".

O evento ficou preenchido com os grupos Harmonia da Glória, Arautos do Rei, Voz Viva, Coral Metodista, Elcanas, Nação dos Soldados, Mansos de Israel e Chuvas de Bênçãos, que à semelhança dos anteriores, interpretaram temas conhecidos pelos presentes, que contaminaram a energia do público, que, apesar do frio, não se fez rogado.

A declamação de poesias teve igualmente um momento importante no festival.

Em declarações à ANGOP,  no final do evento, um dos membros da organização, Horácio Mendes Gil, mostrou-se admirado com a presença do público ao festival realizado com objectivo de congregar fiéis de várias denominações religiosas, com vista a reforçar o ecumenismo.

Referiu que durante a actividade, lançada em 2011, os músicos interpretam canções que apelam à abstenção ao uso de drogas, prostituição, violência e demais males que enfermam a sociedad

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.