A obra, segundo o prefaciado de Ivaldo Lima (coordenador de Pós-Graduação em Estudos Africanos da Universidade da Bahia-Brasil), mostra detalhes dos vários aspectos políticos e administrativos do reino do Kongo, desde as escolas de formação e o corpo técnico de funcionários.

O autor, de acordo Ivaldo Lima, foi movido, ao escrever o livro de 133 páginas, pela inspiração de contribuir para consagração do Reino do Kongo como Património Mundial da Humanidade.

Editado pela Mayamba e com uma tiragem de 1500 exemplares, a obra é um conjunto de uma série de investigações feitas pelo historiador Patrício Batsîkama sobre a escola das ciências políticas no antigo Kôngo.

Natural da província do Uíge, Patrício Batsikama é autor de obras como  “Tokoismo, Teologia da Libertação”, “O Reino do Kongo e a sua Origem Meridional",  "Makela ma Zombo" e " Nação, Nacionalidade e Nacionalismo em Angola".

É docente do Instituto Superior Tocoísta (ISPT), de onde também é coordenador do Centro de Estudo e Investigação Científica Aplicada (CEICA).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.