O olhar atento de um fotógrafo a beleza feminina, através de uma objectiva, que busca compreender a mulher nas suas várias dimensões é o cerne da obra teatral interpretada por cinco actores do Colectivo de Artes Ombaka.

Esteves Quina, porta-voz do grupo, disse à Angop que a ideia de levar a peça ao palco com duas sessões surge da necessidade de homenagear as mulheres, visto ter chegado o mês de Março dedicado a elas.

“É uma reedição onde os actores vão mostrar a mulher como mãe que cuida dos filhos e esposo entre várias outras dimensões”, acentuou, convicto de que o público irá reflectir no verdadeiro valor que tem a mulher em toda as sociedades, em particular a angolana.

No espectáculo, as personagens encarnam várias figuras de mulheres ligadas ao desporto e a  política, com principal destaque para Odete Tavares, antiga capitã da selecção nacional feminina de andebol, que nasceu no bairro Cotel, arredores da cidade de Benguela.

Desde a sua fundação, em 2005, o Colectivo de Artes Ombaka já conquistou vários prémios e participou nos festivais de teatrão do Cazenga, da Paz (Luanda), Mostra de Esquete Teatral no (Brasil), no Internacional de Teatro do Inverno de Moçambique, em 2014, no Voz África e Efetikilo, estes últimos da província do Huambo.

Vencedor em 2014 do 1º Prémio Provincial de Cultura e Artes de Benguela, em Teatro, o Colectivo de Artes Ombaka possui mais de 20 peças exibidas, entre as quais "A Lei", “O Héroi”, “Sonhei com Manguxi”, “O Jovem Frustrado”, “O Técnico”, “Laura”, “Um Raio de Sol”, “Kapulungo” e “Faceburla”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.