Até sexta-feira, o evento promovido pela cervejeira Soba Catumbela, oferecerá aos visitantes inúmeros atrativos culturais, taiscomo workshops, olaria e cestaria, fotografia, reciclagem criativa para crianças, artes plásticas, lançamento de livros, teatro de rua e concerto de bandas musicais e artistas individuais.

Ao apresentar o programa à imprensa, Jorge Arrulo, director comercial da empresa promotora do certame, aponta como principal objectivo promover a cultura local com a participação de artistas de várias áreas.

Para o responsável, incentivar o reencontro dos benguelenses com as suas tradições culturais durante as festas da também conhecida como cidade Acácias Rubras é outro propósito do evento.

Jorge Arrulo realçou que a organização tem como expectativa atrair mais de seis mil pessoas, entre munícipes e turistas.

O gestor enquadrou a realização deste certame na responsabilidade social da firma, motivada pelas celebrações dos 401 anos da cidade de Benguela, que se assinalam a 17 de Maio.

“É o nosso dever, como empresa com mais de 64 anos, estarmos presentes”, frisou, ressaltando ainda que este é o momento importante para a afirmação da cultura de Benguela e das suas gentes no país.

Carla Peairo, artista plástica angolana que trará ao Acácias Fest uma exposição intitulada “Ndityuaka kondjo” (Regresso a casa), avançou que vai partilhar com o público algumas das obras que desvendam tudo aquilo que viveu em 33 anos de carreira, divididos entre Angola e o estrangeiro.

Carla Peairo concorda com a escolha do Museu de Arqueologia como palco do certame e vincou que Benguela precisa de transformar esse local num espaço onde o público estudantil tome contacto com o trabalho dos artistas e, com isso, perceba a dinâmica educacional da arte.

A abertura oficial do Acácias Fest, na quarta-feira, terá como ponto mais alto o lançamento do livro “Palavras Sentidas à Madrugada”, de Rosa Santos, teatro de rua e concerto com Ndaka Yo Wini, Madalena Kassapi e Katiliana.

O evento terá ainda como outros atrativos, nos dois últimos dias, o conjunto Angola 70,  com Botto Trindade, Carlitos Timoteo, Zé Mueleputo e Luís Kandjimbo, estando ainda reservada a actuação de Zé Beato, Sanjambela, Toto e Dji Tafinha, Elisabeth Ventura, Duc e Niiko e Rui Orlando.