No jango da UEA, o momento cultural foi aberto pelo Duo Canhoto ao som rítmico de violas na instrumentalização da canção “ Meninos do Huambo”, de Rui Mingas.

Na sequência, o colectivo Universo Mavambo, Bendinho Freitas e Canguimbo Ananás fizeram também sentir as suas vozes poéticas, com as poesias de autoria do poeta António Agostinho Neto, com destaque para “ Havemos de voltar “.

O programa incluiu ainda a actuação do músico cabo-verdiano Pedro Rodrigues, que musicou o poema “ Caminho do Mato”.

Em declarações à imprensa, o secretário-geral da UEA, David Capelengue, disse que a instituição representa o grande impulso para o percurso de António Agostinho Neto como homem de cultura.

“Estamos a falar do homem de letras, o poeta e escritor, que 29 dias depois da proclamação da Independência Nacional fez parte dos membros fundadores da UEA”, sublinhou.

Por seu turno a embaixadora de Moçambique, Osvalda Joana, considerou António Agostinho Neto uma figura incontornável para os angolanos, moçambicanos e para a Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP).

O fundador da nação angolana, para o embaixador de Cabo Verde, Jorge Eduardo de Figueiredo, é uma personalidade extremamente importante não só para Angola, mas para África em geral, referindo que representa todo o processo de conscientização dos angolanos e na luta contra o colonialismo, que culminou com a Independência Nacional, em 1975.

Na UEA às actividades para homenagear o primeiro presidente da Mesa da Assembleia Geral serão preenchidas com palestres, debates e momentos culturas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.