O artista, que responde em liberdade um processo-crime, por alegado tráfico de droga, vai dividir o palco com Lulas da Paixão e Maya Cool.

Escolhidos para o programa do mês do trabalhador, os três artistas terão cerca de sete horas para brindar o público com as principais cançoes do repertório.

O gestor do espaço, Estêvão Costa, que avançou a informação nesta segunda-feira à Angop, afirmou que a junção de artistas de três gerações diferentes servirá para que o público possa ter a oportunidade de recordar temas que marcaram e continuam a marcar o music hall nacional.

Estêvão Costa adiantou que a intenção colocar ao dispor dos usuários do espaço um diversificado guião musical satisfazendo, desta forma, os gostos de quem faz da casa o seu local predilecto para passar bons momentos ao ritmo e som da música angolana.

“Como já é apanágio da casa, vamos dar o melhor. Temos um compromisso para com o público e para com a música angolana e neste particular o Centro Cultural e Recreativo  Kilamba procura sempre dar o melhor ao seu público”, reforçou a fonte.

A jornada será aproveitada para o lançamento do mais novo disco do músico Fiel Didi, que se fará ao palco na qualidade de convidado especial.

Perfil dos artistas

Compositor e artista angolano, Lulas da Paixão, nome artístico de Sebastião Paulo, nasceu a 11 de Novembro de 1946, na Ilha do Cabo, em Luanda, Angola.

Em 1957, começou a sua carreira artística como vocalista do grupo A Caravana.

Enquanto compositor produziu várias músicas das quais se destacam "Mukagiami", "Lolito", para Carlos Burity, "N'ga Kinga", para Pedrito, "Ti Chico", para António Paulino, "Zinha", para Dina Santos e muitos outros temas para músicos africanos.

No seu repertório constam, entre outras, as músicas “Kamaca”, “Menina Wemita”, “Madia”, “Nguami Maka” e “Ixi ya Muangana”.

Enquanto compositor, Lulas produziu músicas para Carlos Burity (Mukagiami, Lolito), Pedrito (Nga Kinga), António Paulino (Ti Chico II), entre outros.

Natural de Malanje, Robertinho começou a cantar aos 18 anos, no bairro Marçal, em Luanda, tendo integrado o grupo Ébanos, como músico e cantor de apoio.

Emergiu em Angola na década 80 e espera pelo segundo disco há 13 anos, depois de ter publicado, em 1991, o seu álbum de estreia "Joana". O seu palmarés regista várias músicas de sucesso no país, com destaque para "Joana MuKua di Fuba".

No agrupamento FAPLA Povo, Robertinho começou como corista e instrumentista, tocando dikanza. David Zé, Urbano de Castro e Artur Nunes eram os vocalistas  e  Babulo o baterista.

O FAPLA Povo teve vida efémera e Robertinho, com a intenção resoluta de investir na prossecução da sua carreira musical, juntou-se ao agrupamento Diamantes Negros, em 1983, com músicos como Santocas (Voz), Betinho Feijó (guitarra ritmo) e Massikoka (teclado). O seu primeiro single, que inclui o tema “Saudades de voltar a Cuba”  foi gravado em 1978

Maya Cool, que começou a cantar com 11 anos de idade, tem no mercado os discos "Lágrimas", (1997),"Igual a ti", (1998), "Anjo", (2001), "Amores" (2005) e "Certeza" (2011). É uma das principais figuras do music hall angolano, tendo passado da música infantil para adulta.

O Muzongue da Tradição é um programa que teve o seu início em Fevereiro de 2007 e visa a promoção, divulgação e valorização da música angolana produzida nos anos 60, 70 e 80. O agrupamento Jovens do Prenda e os artistas Zecax, Dom Caetano e Proletário, foram os primeiros convidados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.