O soberano, que se encontra em visita de trabalho à província da Lunda Norte desde sábado, disse ser fundamental que os precursores do folclore tchokwe passem a experiência aos jovens para garantir a continuação das danças txianda, macopo, chombe, entre outras que “vêm sendo banalizadas”.

Defende um trabalho acturado das autoridades das três províncias do leste de Angola, Lunda Norte, Lunda Sul e Moxico, na criação de casas de cultura que enalteçam a tradição tchokwe.

Pediu aos sobas trabalho junto das administrações municipais, na reactivação dos txotas (jangos), principais espaços de transmissão de conhecimentos sobre os hábitos e costumes deste povo.

O rei manifestou-se preocupado com o facto de alguns rituais da tradição estarem em via de extinção, como a mucanda e chikumbi, ritos de iniciação masculina e feminina, que prepara o adolescente para a vida adulta, apelanda as autoridades tradicionais a resgatarem.

Disse que vai advogar junto dos governos provinciais, no sentido de se alargar os projectos culturais nos programas de governação, com realce para a construção de infraestruturas que apoiem a actividade dos fazedores do folclore tchokwe.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.