Em declarações hoje à agência Lusa, o responsável adiantou que, até 28 deste mês, o corpo de júri da edição 2018 deve concluir o processo de avaliação das candidaturas.

"O processo decorre na normalidade. Todos os grupos estão a trabalhar e vamos ter uma nova reunião no dia 18 e a última está aprazada para dia 28, altura em que já devemos decidir os vencedores da edição 2018", indicou.

Mas isso, explicou, "ficará em segredo", porque a decisão do júri será enviada à ministra da Cultura e ao Presidente da República, pelo que só depois deverá ser anunciada.

Literatura, Música, Artes Plásticas, Teatro, Dança, Cinema e Audiovisual, Investigação em Ciências Humanas e Sociais, Festividades Populares e Jornalismo Cultural são as nove categorias em avaliação pelo júri.

Em maio, o Ministério da Cultura de Angola, órgão que superintende o prémio, pediu "paciência" aos futuros vencedores do galardão e ao corpo de júri da presente edição por atrasos no pagamento das compensações, devido à crise económica e financeira no país.

No total, são 19 membros que compõem o júri do prémio, criado em 2000 e considerando pelas autoridades como a mais alta distinção do Estado Angolano no domínio da Cultura e Artes.

Literatura, Música, Artes Plásticas, Teatro, Dança, Cinema e Audiovisual, Investigação em Ciências Humanas e Sociais, Festividades Populares e Jornalismo Cultural são as nove categorias em avaliação pelo júri.

Em 2017, o músico angolano Carlos Lamartine, o escritor António Fonseca, o grupo teatral Protevida, as festividades da Nossa Senhora do Monte, do Lubango, e a jornalista Maria Luísa Fançony foram alguns dos galardoados.