A estudante de Luanda Josemara Jesus Kamongo, de 17 anos de idade, que sagrou-se em primeiro lugar com a obra “A voz do mar”, recebeu 973.950.00 kwanzas, um diploma e o seu texto publicado numa obra.

A segunda classificada Irene Fernandes, de 14 anos, também de Luanda, com “O velho Chico e as crianças da sua aldeia”, recebeu 585.370.00 kwanzas, bem como um diploma e a publicação do texto em obra.

Com o texto “A rola de Calomboloca”, Sandra Conceição, de 16 anos de idade, ocupou o terceiro lugar e recebeu, como prémio, 389.880.00 kz, um diploma e o texto, também, publicado em obra literária.

"A voz do mar" é uma história de alerta a sociedade sobre maior atenção aos portadores de deficiência física. “O velho Chico e as crianças da sua Aldeia”, retrata a interacção do homem e o mar de forma criativa, enquanto  que “A Rola de Calomboloca”, teve um realce na exploração das línguas nacionais.

Para o secretário-geral da UEA, Carmo Neto, o concurso visa incentivar cada vez mais as crianças e adolescentes, o gosto e hábito pela literatura, trazendo de forma criativa, leve e pedagógica o desenvolvimento dos mesmos.

Carmo Neto frisou ainda o desafio do prémio, em valorizar cada vez mais a prática constante das crianças à escrita como um dos factores primordiais para o desenvolvimento intelectual.

Por seu turno, o patrono do concurso Manuel Rui Monteiro, que declamou alguns dos seus poemas e ofereceu ao menino Joel que cantou “Os meninos do Huambo”, defendeu a produção literária juvenil com a  promoção de eventos mais nacionais.

Todas as obras tiveram tiragem de 500 exemplares e estão a ser comercializadas ao preço de mil kwanzas.

 Vencedores do

A 8ª edição teve como vencedor João Lukombo com o livro de contos “O sonho do velho João Amélia Torres, segunda colocada com o conto “O coelho Resmungão”, e Mauro Rosa, terceira classificada com “A história  menino que não gosta de estudar”.

Organizado pela União dos Escritores Angolanos (UEA), em parceria com a Fundação Sol e o Ministério da Educação (MED), o concurso visa estimular a criatividade literária das crianças e jovens no domínio da prosa de ficção, premiando os melhores.

O concurso envolve estudantes do 1º e 2º ciclos do ensino secundário, com idades compreendidas entre os 13 e 17 anos, e visa estimular a criatividade literária das crianças e jovens no domínio da prosa fictícia.

Nele, podem concorrer 15 candidatos por províncias, sendo que os temas das composições devem versar sobre “meninos de rua” e as referidas composições não podem ultrapassar oito páginas em formato A4.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.