“Nós quase duplicamos a produção na altura da Maré de Agosto. Temos pouco mais de cinco mil habitantes e chega-se a essa altura do ano e a afluência aumenta com mais duas a três mil pessoas”, afirmou à agência Lusa Fernando Castanho, proprietário de uma das três indústrias de panificação existentes na ilha de Santa Maria, sem adiantar números concretos da produção.

Entre 21 e 23 de agosto são aguardados milhares de festivaleiros para assistir à 30.ª edição do mítico Festival Maré de Agosto, que decorre na Praia Formosa, onde foi criado um parque de campismo anexo ao recinto do festival.

Fernando Castanho recordou que no passado houve edições do festival em que faltou pão para satisfazer todas as necessidades dos locais e dos forasteiros, algo que presentemente seria impensável acontecer, por haver mais empresas a produzir pão na ilha e os empresários se acautelarem atempadamente.

“Faltava porque as empresas não estavam preparadas para receber tanta gente de um momento para o outro e depois não se justifica o investimento avultado. Para aguentar apenas um ou dois meses de verão não se justificava”, referiu o empresário, assegurando que “agora não faltará pão". "É preciso é que os festivaleiros tragam a carteira recheada”, afirmou.

Na panificação de Fernando Castanho já trabalharam 15 funcionários, hoje são apenas cinco, devido à aposta numa linha de produção automática de origem austríaca, que permite produzir numa hora ou duas cerca de 40 mil papos-secos.

“Temos um sistema muito inovador, que é uma linha automática. Não trabalhamos durante a noite. É uma produção praticamente automática”, disse o empresário, acrescentando que, segundo o fabricante do equipamento, “só há mais um sistema igual a funcionar em Portugal, localizado em Lisboa”.

A abertura do Festival Maré de Agosto este ano caberá aos Hilight Tribe e o encerramento, no dia 23, a John Lee Hooker Junior, que já atuou na edição de 2005, num concerto que a organização classificou como “memorável”.

Mariza, The Black Mamba, Matisyahu, Finnegan’s Hell, La Chiva Gantiva, Selah Sue e El Gadaze são outros dos nomes que vão atuar no histórico festival açoriano, que é um dos mais antigos do país.

@Lusa

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.