Conforme refere um comunicado enviado esta segunda-feira à redacção do SAPO, neste concerto, a estrela que é dona de uma voz poderosa e inconfundível, revisitará temas do seu mais recente álbum discográfico “Kuameleli”, nos estilos afro-jazz, blues e gospel, de sua autoria e também de autoria de consagrados nomes da música nacional como Filipe Mukenga, Jomo Fortunato, Freddy Mwankié, Sashondel Jopfre e Artur Nunes.

Anabela, que foi eleita Diva da Música em 2017, conquistou no mesmo ano a melhor posição do Festival da Canção de Luanda. O seu mais recente galardão (Prémio da Crítica) foi entregue perante uma plateia composta por centenas de espectadores no palco do CCB, em Luanda, no palco da última edição do TOP dos Mais Queridos, um dos mais prestigiados concursos de premiação musical de todo o país. “Kuameleli”, Nangobe”, “Caríssimo”, “Teu nome é um“, “Tic-Tac” e “I Love You Bwé” são as músicas já confirmadas à magia do aguardado espectáculo, lê-se ainda no documento.

Enquanto crítico musical, Jomo Fortunato não dispensou a oportunidade de tornar pública a sua visão sobre o trabalho da artista que há cerca de dois anos abraçou o mundo da música:

“Anabela Aya é uma cantora de múltiplos recursos vocais, para além de prestigiada actriz. É uma das vozes mais promissoras da nova geração de intérpretes do universo do afro-jazz, que tem enveredado de forma segura e modesta pelos caminhos híbridos da renovação estética da Música Popular Angolana… Voz aclamada pela crítica mais exigente do gospel e do afro-jazz angolano, Aya poderá estar próximo das vozes históricas do jazz norte-americano, se continuar a trabalhar com esforço, modéstia e dedicação”, frisou o antigo Presidente do Conselho de Administração do Memorial António Agostinho Neto.