Com carimbo da Team Films, produtora de conteúdos audiovisuais, em parceria com a TV Zimbo, o projecto “Sons da Alma” foi, nesta sexta-feira, 28, apresentado no Epic Sana Luanda. A estreia está apontada para final de Agosto.

O projecto, que contemplará várias etapas, terá início com uma sessão de episódios que exibirão a história do gospel nacional e internacional, seguindo-se de um renhido processo de casting para a identificação dos 49 grupos participantes, galas eliminatórias, semifinais e por fim, a grande gala de encerramento.

Caberá à professora Rosa Roque, ao maestro Mateus Júnior e aos músicos Gui Destino e Dodó Miranda, que compõe o júri desta iniciativa, a missão de eleger as melhores prestações de cada uma das sete galas eliminatórias. Outra parte ficará sob a responsabilidade do público que, através de voto telefónico, terá também um papel preponderante. Em cada uma das galas serão escolhidas as duas melhores exibições.

Sons da Alma

Gildo Mariano, CEO da Team Films, revelou em exclusivo ao SAPO a sua satisfação em torno da realização do projecto que começou a idealizar em 2011.

“Fiquei arrepiado e com um ‘frio na barriga’ ao perceber que finalmente este sonho se estava a materializar. É um grande orgulho para mim e toda a minha equipa, agradeço aos parceiros e patrocinadores por todo o apoio, e por agora, só queremos mesmo trabalhar afincadamente para o sucesso do Sons da Alma”, referiu o responsável que realçou que o grande público será a peça chave na selecção do grupo coral vencedor.

Sons da Alma

Ainda de acordo com a entidade organizadora, todos os grupos corais (com até 40 integrantes) da região de Luanda e não só, podem inscrever-se através do preenchimento de um formulário cujo link estará em destaque nas páginas de Facebook e Instagram do projecto “Sons da Alma”, da data de hoje (28 de Fevereiro), até 28 de Março.

O histórico, consistência, diversidade de repertório, rigor, existência de banda, originalidade, maestro e guarda-roupa, serão alguns dos critérios fulcrais para o júri que deverá ditar quem entra e quem fica de fora da competição.

Emocionada com a iniciativa, Rosa Roque manifestou toda a sua alegria e consideração. “O meu país tem rumo, eu sei o quanto é difícil começar e concluir um projecto cá em Angola e este, que muito merece os meus parabéns, revela o brilhante trilho da nossa cultura. Tenho muito orgulho em fazer parte disto”, confessou.

De referir que a gala final do concurso, a exibir o talento de oito coros finalistas, acontecerá no terceiro fim-de-semana do mês de Dezembro. Além do cobiçado troféu, o coro vencedor receberá um montante em dinheiro e outros bens ainda não especificados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.