Gabriel Tchiema fez esse pronunciamento quando recebia Benilde Miúdo, natural da Lunda Sul, no aeroporto Deolinda Rodrigues, tendo especificado que o sector da Cultura local vai ajudar a cantora a nível da formação artística, com técnicas de canto e composição das canções.

O sector da Cultura, acrescentou, vai também acompanhar e impulsionar a carreira artística de Benilde Miúdo, para ajudar na sua afirmação no mercado nacional.

Disse que a vitória de Benilde Miúdo no “Variante/2018”, demonstra a qualidade dos ritmos da província da Lunda Sul, principalmente da música cantada na língua nacional tchokwe.

Apelou, por isso, aos pesquisadores culturais a estudarem profundamente a beleza e riqueza desses ritmos, assim como incentivou os jovens a cantarem mais em línguas nacionais.

Benilde Miúdo, por sua vez, enalteceu o gesto do sector da Cultura da Lunda Sul em apoiar a sua carreira artística.

Descartou a possibilidade de gravar um disco, em breve, por estar apostada ainda na sua formação artística e conhecer melhor os meandros do mundo musical.

Revelou que o seu forte é a música gospel e se tiver de gravar um disco será nessa vertente.

“Através da música gospel conseguimos evangelizar as pessoas e ajudar na mudança do comportamento dos cidadãos”, salientou.

Com a música Nguli Nhi Usona, trabalhada à base da tchianda, Benilde Miúdo conquistou, este mês, no município de Viana, em Luanda, a 25ª edição do Variante/2018.

Entre os consagrados que já conquistaram este festival destacam-se Matias Damásio, Sandra Cordeiro, Zé do Pau e Sabino Henda.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.