Para o astro, a moldura humana que marcou presença este sábado (8) na “Praça da Dipanda” é a clara definição de que o seu trabalho é muito bem aceite pelos fãs que conquistou ao longo dos anos.

“Começar o dia com toda esta gente mostra que todo o esforço valeu a pena. Está tudo a correr bem e com muito boa energia. É uma satisfação e uma sensação de alívio para mim. Estou distante, porém, sempre que cá venho sou bem recebido pelos meus manos”, declarou NGA, visivelmente emocionado.

“Foi preciso chegar aos 35 anos para escrever um álbum como este. Espero que estas músicas fiquem na vida das pessoas para sempre, porque eu sei que muitos se identificam com este álbum”, contou ainda.

Sobre a produção do disco, NGA referiu que as dificuldades foram ultrapassadas e servirão sempre de lição. O artista revelou também que teve o apoio da Wammo, Man Renas, DopeBoyz, Chilala e todos elementos do grupo Força Suprema.

“Fazer um álbum a viver em Portugal é difícil, porque há coisas devem ser feitas em Angola, mas, graças a Deus, conseguimos superar as situações, como as dificuldades financeiras”, revelou o rapper enquanto autografava a nova obra.

Foram milhares os fãs do rapper NGA e do grupo Força Suprema que não pouparam esforços para demonstrar todo o carinho que sentem, na primeira sessão de vendas do novo disco. Obras de arte, tatuagens, desmaios, emoções e a oferta de muitos presentes marcaram o dia, na Praça da Independência.

De realçar que o álbum “Filho das Ruas 2”, que traz 10 faixas, resulta de um esforço de produção dos Força Suprema e DopeBoyz.