De acordo com um comunicado enviado, o Festival tem lugar no dia 20 de Setembro, seguindo a tradição de se realizar na sexta-feira que antecede o dia em que a LAC foi inaugurada oficialmente. Desde logo procurámos uma palavra em língua nacional para reunir o significado de festa e de paz. Surgiu assim KUTULULUKA, que nos vai levar à festa de estarmos em paz.

O primeiro momento do festival define o seu obectivo: a apresentação dos dez concorrentes saídos de uma renhida competição de boas canções. Um júri composto por Manuel Gonçalves, Upale Mónica, Niki Menezes, Anabela Aya e Lito Costa, fará a análise da sua apresentação, com vista à atribuição do GRANDE PRÉMIO e dos quatro parcelares relacionados com a letra, a interpretação, a voz e a produção.

Dizer que a Rapsódia que este ano tem novo figurino. Vários dos nossos melhores intérpretes (Acácio Bambes, Bela Chicola, Carla Moreno, Augusto Chakayá, Edizila, Erica Nelumba, Ivan Alekxei, Lina Alexandre, Sabino Henda eVoto Gonçalves), vão dar voz a canções que marcaram e marcam a nossa vida.

Para esta edição, convidado especial entra no espírito de festa e da homenagem que lhe vem sendo prestada de ser um dos iniciadores do movimento KIZOMBA. Trata e de Eduardo Paim, ligado à LAC desde a sua criação. É dele o indicativo dos nossos momentos de informação.

Este ano LAC tem dedicado especial atenção à Kizomba e quando se festeja a África na nossa terra, nada melhor do que dar destaque a esta dança tão expandida pelo mundo. Os espectadores terão oportunidade de perceber como a Kizomba, não sendo o tema das canções, vai estar presente no nosso Festival.

A LAC realizou dois concursos cujos vencedores vão estar presentes na noite de 20 de Setembro. Com um cariz pedagógico, jovens de várias idades estiveram envolvidos em dois concursos, um de percussão e outro de dança.
De referir que no dia 20, num cenário maravilhoso, a partir da Marina do Clube Naval, vai decorrer a 22ª edição do Festival da Canção de Luanda.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.