Num total de 30 músicos, o destaque recai para Paulo a dupla YoBass, Bessa Teixeira, Justino Handanga, C4 Pedro, Pérola, Calabeto, Nagrelha, Yannick Afromam, Big Nelo, Ary, Puto Português, Kyaku Kyadaff.

Nino Republicano, responsável da produtora LSRepublicano, apontou, em declarações à ANGOP, as dificuldades financeiras como principal entrave para a não contratação de artistas de renome estrangeiros.

Sem avançar números quando ao orçamento, adiantou que o evento será produzido inteiramente com custos da LS Republicano no âmbito da parceria assinada com o Governo Provincial do Cuanza Sul, que vai permitir a produção do evento nas próximas três edições.

Nino Republicano adiantou que nas condições actuais, se fará o melhor para colocar ao dispor do público um cardápio musical que satisfaça.

Adiantou que o programa inclui também a exibição de DJs de diversas províncias do país convidados para mostrarem, cada um, os seus dotes musicais.

Para esta edição, avançou, se pretende retomar a marca FestiSumbe e voltar a devolve-la ao mercado cultural angolano, tendo em conta a projecção que ganhou ao longo dos anos de existência.

Por seu turno, o director do Gabinete Provincial da Cultura e Turismo, Agostinho Domingos Cassessa, reforçou que o governo local não terá comparticipação financeira no festival.

“A alimentação, contratação dos músicos, alojamento e transporte está sob responsabilidade da LS Republicano”, rematou.

Avançou que foram formados 25 guias turísticos para ajudar os turistas a conhecerem melhor a província. A par do festival musical está também reservado uma Feira de Produção local que vai juntar 200 expositores da agro-pecuária, turismo, pescas indústria e serviços,   numa área de mil 800 metros quadrados.

Rede Hoteleira

O responsável apontou a existência de 331 unidades hoteleiras e similares  e 108 unidades complementares , 205 restaurantes, 1.950 quartos, 20.298 camas para a acomodação dos visitantes.

Ganhos

A fonte apontou como ganhos o aumento do rendimento das famílias, hoteleiros, criadores angolanos, aumento da mobilidade e da circulação de pessoas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.