Esta é a primeira digressão internacional do artista, desde a morte há sete anos, do seu irmão e parceiro de carreira Beto de Almeida.

Nessa nova etapa da carreira, Moniz de Almeida faz-se acompanhar pela banda S&R, com a qual prevê actuar igualmente em Espanha e França.

De acordo com Hugo Macedo, líder da banda S&R, a digressão pela Europa visa "eternizar" os Irmãos Almeida e relançar a carreira internacional de Moniz.

"O objectivo da tournée é reactivar o projecto Irmãos Almeida e fazer que as pessoas voltem a consumir os sucessos deles", informou o produtor à Angop, via internet a partir de Portugal.

Irmãos Almeida foi uma das duplas de maior referência na música angolana no período pós-independência, que atingiu as paradas do sucesso em finais da década de 80.

São autores de várias canções que se tornaram "hits" em Angola e noutros países lusófonos, entre 1988 e 2013, altura da morte de Beto de Almeida. Do seu repertório constam, entre outras, canções como "Minha Viola", "Vizinho Cara de Pau", "Ngapa", "Guilhermina", "Kussukulo os Adobes", "Yara", "Chefe é Chefe", "Coração tem Buraco", "Sofrimento" e "Paciência - Vou Comer Então Aonde".

Tem ainda temas de sucesso como "Professora", "Amor Melaço", "Vigarista", "Morainha", "Senta Mais um Pouco", "Maria Mulata" e "Tio Zé", este último que projectou Moniz de Almeida em Angola e o levou à conquista do Top dos Mais Queridos (1991).

De acordo com o produtor Hugo Macedo, já têm confirmadas duas actuações em Portugal (não precisou as datas e os locais), para reencantar todas essas canções.

"O nosso agente está a tratar disso", adiantou, referindo-se às datas, sem mais detalhes.

O músico explicou que a digressão de Moniz de Almeida e da banda S&R iniciou-se em Angola, em Junho de 2019, altura em que actuaram em várias províncias do país.

Um dos pontos altos desse retorno dos Irmãos Almeida, agora sem Beto, foi no projecto "Show do Mês", em 2019.

Moniz de Almeida esteve afastado dos grandes palcos por quase seis anos, desde a altura em que perdeu o irmão mais novo e parceiro Beto de Almeida.

O artista chegou a ponderar o fim da carreira musical, facto que, conforme o próprio, não aconteceu por causa do encorajamento de vários amigos, como Hugo Macedo e Kelly Silva.

Moniz de Almeida, que começou a carreira como trovador, na província do Cuando Cubango, conheceu os caminhos do sucesso com o "single" "Tio Zé".

Depois desse trabalho, viu surgir no mercado Beto de Almeida (Beto Viola) que, à semelhança do irmão, "estourou" nas rádios com a canção "Paciência – Vou Comer Então Aonde".

Em 1989, os dois entram juntos para o estúdio e gravaram temas como "Eu Espero", "Vou comer Então Aonde" e "Sozinho", que serviram de base para os dois primeiros discos a solo dos irmãos.

Na época, Beto gravou o CD "Cara de Pau" e Moniz de Almeida publicou "Tio Zé".

Mais tarde oficializaram a dupla, tendo surgido o primeiro álbum, "Kimbanda", em 1995.

Depois gravaram "Pico", em 1998, e "Almeisy", em 2001, bem como "The Best Irmãos Almeida", em 2010.

A dupla participou também de vários discos colectivos, como o Projecto "Pomba Branca".

Os Irmãos Almeida pertencem ao movimento de artistas que muitas vezes foi chamado para actuar nos pontos mais avançados de combate, durante o conflito armado.

A dupla liderou o mercado na década de 90 e começo do novo milénio, repartindo as audiências radiofónicas com outros grupos e músicos de sucesso, como N'Sex Love, Dom Kikas, Maya Cool, As Gingas, Nany, Euclides da Lomba, Fly e os SSP.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.