O autor de "Soul Makossa" (1972) - um dos primeiros temas de afro-jazz conhecido mundialmente - morreu hoje de madrugada num hospital da região de Paris.

"As cerimónias fúnebres vão decorrer de forma restrita, em ambiente familiar, mas vai ser realizada uma homenagem assim que seja possível", refere a mensagem que acaba de ser publicada na página oficial do saxofonista na plataforma digital Facebook.

"Soul Makossa", o tema que tornou Manu Dibango mundialmente famoso era inicialmente o lado B de um single (45rpm) que continha um hino de homenagem à equipa de futebol dos Camarões por ocasião da Copa Africana, em 1972.

Logo após a edição do primeiro trabalho, a música de Manu Dibango foi notada pelas estações de rádio de Nova Iorque.

Nos anos 1980 Manu Dibango acusou o norte-americano Michael Jackson (1958-2009) de lhe ter plagiado uma música que fazia parte do alinhamento do álbum "Thriller" tendo o saxofonista dos Camarões conseguido um acordo financeiro como forma de compensação de direitos de autor.

Manu Dibango já actuou em espectáculos em Angola por várias ocasiões. Em Dezembro de 2018, a convite do Presidente de Angola, João Lourenço, o saxofonista exibiu-se em dois concertos com o músico angolano Bonga.

Nasciido a 12 de Dezembro de 1933 em Douala, nos Camarões, Manu Dibango foi um saxofonista e vibrafonista de jazz e afrobeat, que iniciou a carreira como membro do grupo congolês Africam Jazz.

Lançou o primeiro álbum a solo em 1972, iniciando uma carreira de grande sucesso. De destacar a influência na música “Wanna be Startin” de Michael Jackson,  “Cowboys” dos The Tigres e “Don’t Stop the Music” de Rihanna. Em 2004,  Manu Dibango foi denominado pela Unesco  “Artista da Paz”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.