O mundo da música em Angola tem deixado de lado artistas que tocam apenas instrumentos como saxofone, batuques, marimbas e muitos outros. O saxofonista angolano Manuel Bernardo, mais conhecido por "Sanguito", é um deles. Em entrevista à revista Lux manifestou o seu descontentamento pelo facto de organizadores de eventos colocarem de lado os praticantes desta arte.

"Infelizmente, numa dimensão de mais de 20 milhões de habitantes, só dois é que fazem alguma coisa para levar ao mundo o som do saxofone feito por angolanos. É muito triste! Neste especto, para mim, este sector não está a progredir em nada", disse o músico.

Nos dias de hoje, apenas Nanutu e Sanguito permanecem a fazer música a partir do instrumento saxofone. Para Sanguito a situação de crise financeira que o país enfrenta contribui para esse desinteresse. Estão também entre os factores para o não desenvolvimento desta arte, a falta de espaços onde se podem formar novos talentos.

"Hoje em dia, como a situação está crítica, fazer escolas de música para muitos não dá rentabilidade porque os instrumentos são caríssimos. Não existem espaços para escolas de música perto da sociedade. Tínhamos uma academia de música, que era estatal, mas não sei o que é feito dela. É muito triste e lamentável", disse Sanguito, antigo membro dos Merengues, um grupo popular dos anos 70.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.