Para o encanto do público, os artistas que encerram o badalado projecto musical com três apresentações no referido palco, seleccionaram mais de 20 temas de sucesso do seu vasto repertório, entre estes, “Rumba Za Tukina”, “Inocente”, “Kandengue Atrevido” e “Kuma Kwa Kie” são alguns dos hits que ambos não quiseram deixar de interpretar lado a lado.

Além da típica energia de Yuri e Paulo, a noite – que ficou também marcada por um momento de fortes aplausos às Gingas do Maculusso e Rosa Roque, que estiveram a prestigiar o evento  serviu ainda para relembrar o músico Alberto Teta Lando, por todo o contributo que este prestou à nossa cultura. A título de homenagem, os anfitriões cantaram juntos os clássicos “Eu Vou Voltar” e “Mamã Grande”, de Teta Lando, protagonizando assim um dos momentos mais emocionantes da noite.

Paulo Flores e Yuri da Cunha homenageiam Teta Lando no palco da Casa 70

“Além das músicas maravilhosas, ele foi um professor, uma pessoa com quem eu pude conviver além de conhecer. Só quem vive a música nacional no verdadeiro sentido da palavra sabe reconhecer o peso deste ícone para a cultura. O Teta Lando merece tudo o que nós temos”, afirmou Yuri da Cunha.

Por outro lado, Paulo Flores, que fez questão de tornar públicas as engraçadas lembranças que tem do falecido artista, aproveitou o momento para fazer um pedido especial: “Espero que um dia façam isso por mim”, suplicou emocionado.