A rádio passou a peça do compositor na passada sexta-feira, dia 31 de agosto, quando uma emissora de música clássica da empresa de radiodifusão reproduziu parte da ópera "Goetterdaemmerung". A peça foi retirada do ar abruptamente cerca de um minuto antes do final.

Wagner (1813-1883), dono de uma obra nacionalista musical e literária repleta de antissemitismo e misoginia, era o compositor preferido de Adolf Hitler.

Não existe nenhuma lei em Israel que proíba a reprodução de obras do compositor alemão, mas, em geral, evita-se fazê-lo. "As normas da empresa de radiodifusão israelita são as mesmas há anos: não serão reproduzidas obras de Wagner", disse este domingo uma porta-voz da Kan.

"O editor musical errou na sua seleção artística ao reproduzir a obra. Pedimos desculpas aos nossos ouvintes", diz um comunicado da emissora.

Jonathan Livny, fiscal e presidente da Sociedade Wagner de Israel, elogiou a reprodução do compositor alemão pela rádio pública. "Não estão a ser reproduzidas as opiniões do compositor, mas sim a música maravilhosa que ele criou", alegou Livny, filho de um sobrevivente do Holocausto. "Quem não quiser ouvir, pode desligar o rádio", acrescentou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.