O músico angolano Waldemar Bastos foi Convidado para as Comemorações do 25º Aniversário da Queda do Muro de Berlim, o artista falou do poder da música para acabar com as barreiras culturais que decorrerá  entre os dias 7 e 10 de Novembro no Muro de Berlim.

Encantado pela música desde criança, Waldemar é uma referência quando se fala nos ritmos tradicionais do continente, desta o músico aceitou o desafio de ser um dos principais oradores na Conferência Anual sobre Diplomacia Cultural, um evento organizado pelo Institute for Cultural Diplomacy.

Esta distinção, referência dnos ritmos tradicionais do continente, surge depois de um longo período de trabalho em prol daquilo que ele acredita ser uma missão: levar a música africana a outras paragens, criando assim sons universais.

Em entrevista com a Rede Angola Waldemar afirmou que a música tem a capacidade de ajudar e muito ao esbatimento de barreiras culturais, espirituais e materiais. Acrescentou também "que há muitas formas de quebrar barreiras, complexos, acabar com a ignorância. A música entra pelos poros e resolve, muitas vezes, as diferenças de uma forma indelével".

Depois dos anos que passou longe de Angola o artista explicou que a sua música tem uma espinha dorsal angolana. "Desde criança, nunca fui fechado, nunca tive talas, a música para mim, desde que eu sentisse que era bonita, tocava. Toquei em conjuntos de bailes, a minha visão era aberta de maneira que tem muito da música universal."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.