"As Cores do Sentimento" será um espetáculo de música acústica, onde o som do violão se fundirá com o dos instrumentos de percussão.

“Uma panóplia de cores expressando um sentimento pessoal, do imaginário coletivo, mas também de uma viagem transversal, deambulando pelas delicadas e singulares fragrâncias que exalam das diferentes sonoridades que coabitam a nossa Alma, a Alma Atlântica: África, Europa, Brasil, América, o Universo.”

É desta forma que Waldemar Bastos, através de comunicado, apresenta o seu novo projecto musical. Nascido em 1954 na antiga província de São Salvador do Congo, o também activista político tocou ao longo dos últimos 40 anos ao lado de grandes nomes da música internacional, como Chico Buarque, David Byrne ou o pianista Ryuichi Sakamoto, tendo ainda servido de embaixador da música africana em diversos espectáculos organizados nos quatro cantos do mundo.

Mas sobre “Cores do Sentimento”, que mais há a dizer? No fundo, trata-se de “um regresso ao porto de partida, um regresso ao insubstituível som da inebriante beleza da música acústica”, salienta no texto enviado à imprensa. “Aí a voz, os violões e a percussão acasalam e interlaçando-se, fundem-se para, já diluídos, se metamorfosearem dando origem a um ‘Canto e Poesia Únicos’ que nos eleva numa viagem deslumbrante a lugares não ‘específicos’ de incomensurável e indelével beleza.”

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.