Sob a chancela da Produtora Ngombo Music e da LS, o novo disco do artista conta com 20 músicas trabalhadas a base de uma rítmica diversificada.

Yannick Afroman revelou, em entrevista à Angop, tratar-se de um disco diferente dos demais, por trazer várias abordagens, não só em termos de composição, mas também rítmica.

O músico interventivo e com temas cujas letras trazem mensagens sobre o dia-a-dia dos angolanos, sobretudo socialmente, o músico frisou que “Outros Mundos foi trabalhado para ser expandido além fronteiras.

O CD conta com as participações de Carlos Burity, Samangwana, Anselmo Ralph, Ary, Socorro e Negralha, cabo-verdianos, entre outros convidados.

Yannick Manuel Ngombo “Yannick Afroman” começou a carreira em 1989, em Paris (França), fazendo free-style. Voltou para Angola em 1995, onde se juntou a Mumu e Kitess, dando origem ao grupo Afroman.

Em 1999, com a estreia da música promocional não comercializada "Ta Calor", o grupo rápido conquistou um espaço entre o público, pela primeira vez fora da comunidade Hip-Hop.

Daí, as portas abriram-se para Afroman que é hoje um dos músicos mais populares em Angola. Bateu recordes: a 21 de Dezembro de 2008 de CD mais vendido até a data no país, com 15 mil cópias vendidas, e consequentemente com o concerto com mais assistência até então, com mais de 22 mil em 7 de Fevereiro no Estádio dos Coqueiros.

Tem no mercado os discos Mentalidade e Terra a terra.

Natural do Uíge, venceu os prémios de  Melhor Rap 2001/2003 e 2009 (Rádio Luanda) e, em 2009, ficou em segundo lugar no Top dos Mais Queridos.