Em declarações à Angop, durante a sessão de venda e autógrafo da sua mais recente obra discográfica intitulada “Sem medo”, decorrida no Jardim da Cultura, no interior desta cidade, referiu que o país precisa cada vez mais destas instituições para que os músicos possam desenvolver a arte com a qualidade necessária.

Adiantou que, tendo em conta as consequências da globalização, é urgente a  criação de instituições de formação musical, no sentido de se transmitir aos artistas valores que se adequem a realidade sócio cultural da angolanidade.

Para si, a concretização do desafio deve contar com a colaboração das instituições parceiras do Ministério da Cultura e dos empresários nacionais.

Outra valência apontada pela cantora tem a ver com uma melhor preparação das futuras gerações da classe, para que, por intermédio das suas obras, tenham um papel fundamental no processo de ressocialização das comunidades, através do resgate dos valores morais e culturais.

O "Sem medo" álbum duplo que conta com 35 faixas musicais, apresentado no passado dia 18 de Abril, em Luanda, teve a participação de 70 instrumentistas de várias nacionalidades, 10 produtores e foi gravado em sete estúdios.

Na ocasião, Yola Semedo vendeu também aos seus fãs e amantes da música na província do Huambo  o seu álbum intitulado “Meu filho” e um DVD que retrata os 25 anos da sua carreira.

Nascida na província de Benguela, Yola Semedo conta no mercado musical com outros álbuns como “Minha Alma” e “Diário de Memórias”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.