José Campos Kafala, o último dos trovadores do Duo “Irmãos Kafala”, falecido na passada sexta-feira, por doença, foi enterrado na presença de distintas figuras da música nacional, com destaque para Euclides da Lomba, Santocas, Carlos Baptista, Tedyy Nsingui, Zeca Moreno e Carlos Lopes.

Na mensagem de condolências do Vice-presidente da República, Bornito de Sousa,  lida no acto por um familiar, foi destacado o contributo deste pioneiro da trova, fundamentalmente notabilizado pelas canções e composições poéticas.

O secretário de Estado da Cultura, Aguinaldo Cristóvão, ressaltou o valor artístico deste, com destaque na aposta em cantar em línguas nacionais, e manifestou o trabalho do seu pelouro em manter o legado de José e Moisés Kafala.

Durante a cerimónia fúnebre, o guitarrista Quintino, em nome da União Nacional de Artistas e Compositores (Unac), enalteceu o facto de o artista, com o seu grupo, ter o mérito inquestionável de ser o que mais musicou e interpretou, com brilhantismo, os poemas de Agostinho Neto, primeiro Presidente de Angola.

O músico Euclides da Lomba reconheceu a influência dos irmãos Kafala na sua carreira e na identidade do cancioneiro nacional, com interpretações de poemas e prosas, sobretudo na música “Renúncia impossível” de Agostinho Neto.

“O belo canto e a capacidade harmónica foram conhecidos na voz destes irmãos, que vieram apresentar à música esta forma de interpretação”, explicou.

Zito, como era carinhosamente tratado pelos amigos, conquistou o Top dos Mais Queridos em 1985, com a canção “Oh Kudizola”.

Em 2008, por ocasião das comemorações do dia da Cultura Nacional, 08 de Janeiro, foi galardoado com o Diploma de Mérito atribuído pelo Ministério da Cultura.

O cantor, que aos 24 anos venceu o primeiro Festival dos Artistas Amadores das Forças Armadas Popular de Libertação de Angola (FAPLA) em 1984 com o tema “Nginbalundu”, nasceu a 11 de Fevereiro de 1960.

Zé Kafala, que representou Angola em Portugal, Bulgária, Alemanha, São Tomé e Príncipe, mereceu “rasgados" elogios em matérias de jornais internacionais, como o Le Monde de La Musique, Revista Africulture, Laffiche, Et Reportoire e actualité dês Relegions.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.