Os fãs do detetive mais famoso da cultura pop voltaram a ter mais notícias: as hipóteses de haver mais episódios de "Sherlock" parecem cada vez mais escassas.

A série da BBC que trouxe para a atualidade Sherlock Holmes e o Dr. Watson tornou-se um sucesso à escala global desde a primeira temporada em 2010 e elevou a estatuto de estrelas de primeira linha os seus protagonistas, Benedict Cumberbatch e Martin Freeman, de tal forma que, nos últimos anos, tem sido difícil conciliar agendas para ter os dois atores a rodar mais episódios.

Essa tem sido a razão mais apontada para as pausas entre as temporadas, mas agora Martin Freeman disse ao The Telegraph que fazer a série já não é divertido por causa das elevadas expectativas dos fãs e acrescentou que pouco se tem falado de fazer uma quinta temporada.

"Acho que após a série quatro pareceu como uma pausa. Sentimos que já a estávamos a fazer há algum tempo. E parte disso, falando por mim, é por causa das reações. Para ser completamente honesto, é um pouco impossível. 'Sherlock' tornou-se imediatamente o sucesso gigantesco que foi. Enquanto que mesmo com a série 'O Escritório', foi aos poucos. Mas 'Sherlock' foi, para ser fraco, de qualidade elevada desde o começo. E quando se começa assim, é bastante difícil de se manter", explicou.

"Estar nessa série é uma coisa tipo mini-Beatles. Uma parte das expectativas das pessoas já não é divertida.  Não é algo para ser apreciado, mas sim tipo 'Ou fazem isto ou são uns sacanas'. Isso já não tem piada", concluiu.

Há um ano, Benedict Cumberbatch também disse que a quarta temporada poderia ser a última. "Honestamente, parece o fim de uma era. Ele vai para um lugar onde é muito difícil de acompanhar imediatamente.", disse à GQ.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.