De acordo com uma nota enviada ao SAPO, os Globos ZAP distinguem-se de outros projectos de premiação pelo público angolano ser verdadeiramente soberano, não apenas na escolha dos vencedores como na escolha dos próprios nomeados. “Nos Globos ZAP não existe um painel de ilustres que decide os nomeados para as diferentes categorias. Desde a primeira fase do projecto é o povo angolano que decide os rostos a serem nomeados e, numa segunda fase, os vencedores. Pela primeira vez na história da televisão angolana, o público angolano é verdadeiramente soberano”, refere Jorge Antunes, Director do ZAP Estúdios.

O processo de nomeações decorre com o apoio da MIRA, empresa angolana de pesquisa de mercado e business intelligence, por ser uma entidade credenciada para a realização de estudos de mercado e sondagens de opinião. Isto significa que os nomeados serão apurados por uma entidade idónea a uma amostra representativa da população. Uma vez conhecidos os nomeados, o ZAP Viva anunciará a abertura das votações para que possa votar nos seus artistas preferidos.

“Hoje é também dia do projecto revelar a sua identidade visual, baseada no glamour e no protagonismo que a Gala irá homenagear o talento nacional. A caminho do seu oitavo ano de existência, o Canal ZAP Viva tem testemunhado o nascimento e a consolidação de profissionais cujas carreiras têm contribuído para o desenvolvimento socio-económico e cultural do país”, lê-se ainda na nota.

De referir que dentro de dias, o país irá conhecer as categorias e os nomeados das mesmas. Apesar das categorias ainda serem desconhecidas, uma coisa é certa: o público será soberano. Não só na nomeação dos candidatos às várias categorias, como na escolha dos vencedores.

De Cabinda ao Cunene, Angola prepara-se para um evento único, que irá observar todas as regras de bio-segurança a que o contexto impõe, onde o talento é reconhecido e o público o decisor.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.