Em conversa com o SAPO, Tatá revelou alguns detalhes da sua participação na nova trama "Deus Salve o Rei", onde frisou ser uma personagem com muita liberdade na qual o riso é algo natural.

Pode falar-nos um pouco sobre a sua personagem?
A Lucrécia é uma princesa do reino de Alcaluz que vai a Montemor como prometida do Rodolfo. Ela entra mais tarde na história, mas traz uma reviravolta na trama, que já está em andamento. A novela é uma comédia, tem muito humor, e a minha personagem também traz isso. O tio dela, o Heráclito, personagem do Marcos Oliveira, também tem traços de humor muito fortes.

A Lucrécia é uma personagem muito livre, ela não tem muita noção de como controlar o riso, o choro, a raiva. Ela não tem muito filtro. Em tudo o que acontece, ela extravasa de qualquer maneira, não consegue controlar-se e portar-se como uma princesa. O Rodolfo também é um príncipe que foge, que se rebela contra essa estrutura muito rígida, de padrões que os príncipes normalmente têm de seguir. Acho que os dois se encontram nessa loucura, nessa liberdade que os dois têm.

Tatá Werneck
Tata Werneck

Quais são as expectativas para a novela?
Essa novela é maravilhosa. Muito bem feita. Nunca vi nada parecido. É difícil você entrar numa novela que já está em andamento. Espero que ela seja uma personagem que o público vai gostar e torcer, porque ela tem muitas questões que a principio podem ser vistas com uma certa estranheza, mas no final ela é só mais uma pessoa muito humana querendo ser amada.

Como foi preparar a personagem da Lucrécia?
A Lucrécia é meio a princesa mais feia do reino. Tem a personagem da Bruna Marquezine, da Marina Ruy Barbosa e corta para uma Lucrécia (risos). Temos uma caracterização maravilhosa porque, de facto, os cabelos são muito estranhos, e a Lucrécia consegue encontrar-se nesse estranhamento, porque também é muito estranha. Tivemos uma preparação muito intensa, onde o grupo se tornou muito coeso. Criámos esse universo, porque esses reinos não existem na vida real. Damos-lhes cor, forma, tons. Foi muito legal em conjunto, em uníssono, podermos construir um universo tão vasto, a princípio tão distante, mas também tão próximo e tão real. Enchemos de magia algo que era só ficção e que hoje em dia é tão real para todos nós.